Lei que assegura reconstrução da mama pelo SUS completa 20 anos

O serviço de Mastologia do Hospital Conceição comemorou, em maio, os 20 anos da Lei 9797, de 1999, que dispõe sobre a obrigatoriedade da cirurgia plástica reparadora pela rede de unidades integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS), nos casos de mutilação decorrentes de tratamento de câncer. O hospital Conceição foi o primeiro no Brasil a realizar a cirurgia de reconstrução com prótese pelo SUS, em 1999, e, até hoje, mantém o cumprimento irrestrito da reconstrução imediata das mamas.

Cerca de 60% das mulheres que não fazem a reconstrução imediata das mamas, ou seja, no mesmo momento da cirurgia de retirada, jamais o farão, explica Jose Luiz Pedrini, chefe do serviço de Mastologia do Conceição. “A mulher mutilada tem níveis de depressão maiores, perda do companheiro e uma sobrevida após o câncer traumática. Ao passo que, com a reconstrução e a simetrização de ambas as mamas, melhora a autoestima”, pondera o mastologista. O serviço realiza, em média, oito cirurgias de reconstrução imediata por mês.

O câncer de mama acomete cerca de 60 mil mulheres por ano no Brasil e pelo menos 30 a 40% delas terão necessidade de retirar a mama para o tratamento. “Quase metade destas não terá a reconstrução imediata”, informa o médico.

Fonte: TVE/RS